Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O sal da história

Crónicas da história. Aventuras, curiosidades, insólitos, ligações improváveis... Heróis, vilões, vítimas e cidadãos comuns, aqui transformados em protagonistas de outros tempos.

O sal da história

Crónicas da história. Aventuras, curiosidades, insólitos, ligações improváveis... Heróis, vilões, vítimas e cidadãos comuns, aqui transformados em protagonistas de outros tempos.

Instantâneos (69): Portugal aos quadradinhos

 

adamastor 2.JPG

 

estacao de sao bento - porto 1903.PNG

Reis e rainhas; príncipes e princesas; exércitos armados; povo na sua labuta diária; castelos e serras; caça, festas…e o Adamastor. A história de Portugal conta-se aos quadradinhos, a azul sobre branco ou numa inesperada explosão de cor, em traço firme, irrepetível e arrebatador. A tradição do azulejo português é longa e riquíssima, mas poucos terão chegado à mestria de Jorge Colaço. A sua arte foi muito mais que a pintura para os impressionantes painéis que deixou um pouco por todo o País, mas ainda que tivesse sido “apenas” isso, teria sido muitíssimo.

o marinheiro casa museu egas moniz.PNG

 

Conquistou no azulejo a liberdade que outros apenas conseguiam na tela, porque ousou desafiar os cânones, pintando em vidrado já cozido, causando o escândalo e a incredulidade dos puristas.


Desta forma, evitou as limitações dos azulejos em cru, absorvendo muito rapidamente a tinta e impondo restrições ao nível da coloração, deturpada com a cozedura, que também alterava o brilho final.


Tal arrojo, vaticinavam os céticos, só poderia resultar numa arte efémera, não virtualmente imortal, como seria expectável na azulejaria.


Não tinham razão! Os seus painéis aí estão a provar a durabilidade dos materiais e do génio de Jorge Colaço, que igualmente se atreveu a combinar no mesmo trabalho várias técnicas, tradicionais e modernas, e a testar em azulejo procedimentos inéditos, como a serigrafia.

rainha dona amelia no dispensario dos pobres.PNG

 


Conseguiu assim uma tal variedade de temas, cores, formas e aplicações difícil de igualar, que abriu as portas para os artistas que se lhe seguiram.

696_550092855e42a40d5400b.jpg


Mas, por muito audácia que Jorge Colaço tivesse a misturar materiais e técnicas, nunca se teria conseguido impor se não fosse senhor de um tremendo talento, uma capacidade de transpor para o azulejo a verdadeira representação da alma de Portugal.

 

 

 

 

 

Jorge_Collaço_-_Brasil-Portugal_(16Mai1908).png

 

Jorge Rey Colaço (Tanger, 1868 – Lisboa, 1942) destacou-se como pintor, caricaturista, ilustrador e ceramista, ligado à Fábrica de Loiça de Sacavém entre 1924 e 1942 e à Fábrica Lusitânia (Lisboa), entre 1924 e 1942.

 

casa do alentejo jorge colaço.PNG

 

São especialmente impressionantes, os grandes painéis de sua autoria presentes na Estação de São Bento ou na Igreja da Ordem Terceira do Carmo, ambas no Porto; Grande Hotel do Buçaco e Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa. Também em Lisboa, a Casa do Alentejo apresenta painéis em vários espaços, mas os das salas de jantar e dos sócios têm a particularidade de ostentar uma soberba paleta de cores, que nos arrasta para as fantásticas cenas de caça ou as alegres romarias onde quase se consegue ouvir o cantar das gentes.

jorge colaco 2.jpg

 


As suas obras que persistem até hoje são às centenas, espalhadas por todo o País, em edifícios públicos e particulares - estações de caminho de ferro, museus, escolas, moradias - com uma capacidade de resistir ao tempo que permite a várias gerações o privilégio de apreciar tamanha mestria.

gigante adamastor2 jorge colaço.PNG

 


………….
Fontes

Jorge Colaço, um artista multifacetado; GlazeArch 2015 – International Conference – Glazed Ceramics in Architectural Heritage; Cláudia Emanuel Franco Santos; Eduarda Vieira; José Mirão; João Manuel Mimoso; Laboratório Nacional de Engenharia Civil; Lisboa – julho 2015. Disponível em:
http://azulejos.lnec.pt/AzuRe/Glazearch2015/index.html


http://www.museudoazulejo.gov.pt/Data/Documents/Cursos/azulejaria_2009/az_hist_03.pdf


Comemorações dos 150 anos do nascimento de Jorge Rey Colaço; Memórias da conferência Jorge Colaço – Conhecer, divulgar e preservar; Câmara Municipal de Loures - fevereiro 2018. Disponível em https://www.cm-loures.pt/media/pdf/PDF20180116134336850.pdf


https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Adamastor_-_Jorge_Colaço_(Palácio_Hotel_do_Buçaco).png


https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Gigante_Adamastor_by_Jorge_Colaço.jpg

https://pt.wikipedia.org/wiki/Centro_Cultural_Rodrigues_de_Faria#/media/Ficheiro:D._Afonso_Henriques_Batalha_de_Ourique.JPG


http://www.trends-mag.com/pt/in-foco/jorge-colaco-e-a-azulejaria-figurativa-do-seu-tempo/


http://cultured.com/image/1862/Queen_D_Amelia_at_the_Dispensary_for_the_Poor/#.X20LikBFy01

https://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/o6511abc9/13826448_9zYmG.jpeg

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jorge_Colaço#/media/Ficheiro:Jorge_Collaço_-_Brasil-Portugal_(16Mai1908).png

6 comentários

Comentar post